Saiba como Financiar um Imóvel na Planta





Comprar um imóvel na planta pode ser uma opção bastante vantajosa. 








Os apartamentos atuais são mais modernos, além de, geralmente, contarem com mais infraestrutura e comodidade.

Assim como os apartamentos novos e usados, os na planta também podem ser financiados, embora o funcionamento do empréstimo seja um pouco diferente de outros casos. Nesse momento, sua maior arma é a informação, a fim de saber se é a melhor escolha para seu perfil.

Quer evitar errar sobre o assunto? Continue lendo o nosso post, e entenda como funciona o financiamento de imóveis na planta!

Como funciona o financiamento?

Um detalhe importante sobre o financiamento de imóveis na planta diz respeito ao fato de que você não deve apenas pagar o financiamento, mas também a construção. Isso significa que, ao decidir comprar um empreendimento, você assina um contrato com a construtora ou incorporadora.

Durante até 36 meses, paga-se uma parcela mensal para financiar a realização das obras. Quando tudo estiver concluído, você precisará procurar um banco ou instituição financeira que conceda um financiamento em relação ao valor do imóvel na planta em si. Dependendo das condições, esse valor pode ser maior ou menor do que o divulgado inicialmente, devido a valorização ou desvalorização do empreendimento.

Quais são as possibilidades de financiamento?

Quando se fala de um imóvel na planta, falamos de um lugar que é novo e que, por isso, normalmente encontra mais facilidade no financiamento. Nesse sentido, é possível conseguir um financiamento pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) e pelo Minha Casa Minha Vida.




Pelo SFH, existe um limite máximo de avaliação do imóvel na planta, o que varia para cada estado. Em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal, ele não pode ultrapassar o valor de R$750 mil.






Nos outros estados, o limite é de R$ 650 mil. Além disso, o limite de financiamento é de cerca de 80% do valor, não podendo superar R$ 585 mil.

SFI.

Já pelo SFI, o financiamento é mais flexível, já que até 90% do valor do imóvel na planta pode ser financiado e não há limite máximo para o valor. O prazo, assim como no SFH, é de no máximo 35 anos para a quitação do apartamento.

O Minha Casa Minha Vida, por sua vez, é um programa popular para o acesso à moradia própria e segue regras específicas. Além de o valor do imóvel na planta não poder ultrapassar limites diferentes para estados e condições do lugar, a renda familiar também não pode ser maior do que R$ 6,5 mil. Dependendo da renda, o valor dos juros do financiamento é cobrado de maneira diferente.

Quais são as regras?

Para que o financiamento de um imóvel na planta seja concedido, uma das primeiras regras inclui a avaliação do empreendimento em si por parte do banco. Nesses casos, o banco será responsável por avaliar a construtora ou incorporadora, quais as características do projeto e se está tudo dentro da lei.

Quando se busca um financiamento específico, como o do Minha Casa Minha Vida, por exemplo, o banco ainda realiza uma análise para garantir que o imóvel na planta esteja dentro das condições estabelecidas para o financiamento. Não menos importante, as regras do financiamento para imóveis na planta também passam pelas regras relacionadas ao comprador.





Isso significa que o seu crédito precisa ser aprovado e as prestações do financiamento não podem comprometer mais do 30% do seu orçamento.






Manter-se atento a isso é importante, porque, geralmente, o imóvel na planta sofre uma valorização após o período de construção. Dependendo de quanto for essa valorização, o lugar pode deixar de caber no seu orçamento, por consumir mais do que 30% do rendimento mensal.

Quais documentos devem ser apresentados?

Normalmente, há dois tipos de documentos que devem ser apresentados: os seus, como comprador, e os do empreendimento. Quanto ao empreendimento, é preciso apresentar o alvará concedido pelo município para a realização do projeto, licenças ambientais e declarações de viabilidade das autoridades competentes.

Também é preciso fornecer informações sobre a qualificação da construtora e da infraestrutura do empreendimento. Já em relação aos seus documentos, é preciso apresentar os necessários para financiamentos em geral, como RG e CPF, certidão de casamento ou de nascimento, comprovantes de renda dos últimos três meses, última declaração de Imposto de Renda completa e extrato bancário. No caso específico do imóvel na planta, também é preciso apresentar o contrato assinado com a incorporadora e o Memorial Descritivo.

O que observar em relação ao pagamento das parcelas?

Um caso muito comum entre quem compra o imóvel na planta é que, assim que chega o período de entrega das chaves, o comprador encontra dificuldades para realizar o financiamento. Isso pode acontecer devido a perda de poder econômico ou a valorização, o que faz com que mais de 30% da renda seja comprometida.

Por isso, é muito importante pensar nessa possibilidade e se precaver, como manter uma reserva financeira durante o período. Assim, caso seja necessário, é possível abater parte do valor do imóvel na planta e fazer cabê-lo novamente no orçamento.





Também é importante pesquisar e fazer simulações em diferentes condições e bancos para encontrar a menor taxa de juros a ser paga.






Em boa parte dos casos, é mais vantajoso fazer um financiamento no banco com o qual a incorporadora tenha parceria, porque os juros são menores.

Como fazer o financiamento?

Como possui algumas diferenças em relação ao imóvel que já está construído, você precisa conhecer as etapas do financiamento de apartamentos na planta, para garantir que possa se tornar um proprietário. Assim, desde o encontro do empreendimento até o recebimento das chaves, o passo a passo é:
  • Encontre um empreendimento que se encaixe no seu orçamento e nas suas necessidades;
  • Não se esqueça de considerar uma possível valorização e mudanças no orçamento, antes mesmo de fechar negócio;
  • Caso esteja tudo certo, realize o pagamento das parcelas de financiamento da obra;
  • Antes que o período se encerre, procure bancos diferentes e faça simulações de financiamento;
  • Entre em contato com a opção mais vantajosa e forneça informações do empreendimento;
  • Caso seja possível realizar o financiamento, entregue toda a documentação necessária;
  • Com o crédito aprovado, você receberá uma carta de crédito para financiar o imóvel na planta.

O financiamento de imóveis na planta é mais um jeito de garantir que você possa adquirir o lugar perfeito para você. Entretanto, para ser feito da maneira correta, não deixe de seguir as regras desse financiamento e de avaliar corretamente o empreendimento e o seu orçamento para garantir a obtenção desse crédito.

Serviços:




Fonte: Blog da Precon Engenharia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Nome e Email ao final da Mensagem, caso deseje alguma informação específica.

Atenciosamente.

Imóvel e Dicas.
www.imoveledicas.com